FACIAL



Microdermoabrasão

Método desenvolvido na Itália em 1985, que consiste em um aparelho composto por um duplo sistema de aspiração e compressão, lançando e ao mesmo tempo aspirando microcristais de óxido de alumínio sobre a pele a ser tratada. Este processo se dá em fluxo constante, de intensidade controlável, não traumática e assintomática.

Atualmente é um dos procedimentos estéticos mais realizados nos Estados Unidos, sendo denominado de "lunch peel" (peeling do almoço). Devido à sua simplicidade e rápida recuperação, o paciente pode realizar este procedimento e retornar às suas atividades imediatamente.

As indicações para a microdermoabrasão são várias, dentre elas: tratamento de cicatrizes de acne e fotoenvelhecimento, rugas finas, hipercromias (manchas), estrias, cicatrizes, acne comedoniana (cravos) e foliculite.

Após avaliação do paciente, determina-se a quantidade de sessões e o intervalo entre elas (1 semana a 1 mês). É recomendado iniciar sempre com um peeling superficial e ir aprofundando com o passar das sessões.

Inicia-se o procedimento com limpeza da pele com solução alcoólica. Estica-se a pele com o polegar e o indicador de uma das mãos e com a outra se encosta a ponteira do aparelho sobre a pele e inicia-se o deslizamento, que vai promover o seu lixamento. A pele torna-se avermelhada, sendo que o lixamento se dará na profundidade definida pelo médico. Esta vermelhidão pode durar poucas horas ou até 2 dias, dependendo da sensibilidade do paciente e da profundidade da erosão cutânea, devendo o paciente utilizar sempre um fotoprotetor. Pode ser associado ao peeling químico.

As grandes vantagens desta técnica são: rápida recuperação, praticamente indolor (não é necessário anestesia local), não há necessidade de interrupção dos tratamentos estéticos do dia-dia e não atrapalha nem a vida social, nem profissional do paciente.